Empregado que não podia ir ao banheiro consegue indenização de R$ 10 mil.

A 8ª Turma do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 4ª Região (Rio Grande do Sul) condenou uma montadora de automóveis a pagar R$ 10 mil de indenização, por danos morais, a um ex-empregado que sofria restrição ao uso do banheiro.

O autor da ação era operador em uma linha de produção que não podia ser interrompida. Ele alegou que, quando tinha vontade de ir ao banheiro, acionava uma lâmpada de aviso e esperava a chegada de um colega denominado “facilitador”, que exercia a função de substituto nesses casos.

Entretanto, muitas vezes o referido colega estava ocupado em outras atividades, fazendo com que o operador não pudesse ir ao banheiro. Quando não suportava e, assim, saía do seu posto, corria o risco ser advertido pelo superior.

* As informações são do site Última Instância.

Na sua opinião, a condenação à montadora foi justa? Comente.

Gostou? Compartilhe:

Um comentário:

  1. OIII
    Isso é um absurdo,totalmente desrespeitando as leis trabalhistas,espero que esse funcionario não tenha pego uma infecção urinaria.
    Bjs

    ResponderExcluir